11 99696-6172 / 11 3032-4663 / 11 3816-1743São Paulo SP

Oficinas Pré-programadas

Algumas atividades dessas oficinas são planejadas de antemão a partir do tema da vez (veja menu abaixo), mas os ritmos e interesses dos participantes dão o tom de cada experiência.

Assim como as Oficinas Sob Medida, as Pré-programadas podem ser contratadas por um indivíduo, uma instituição ou um grupo fechado, e atendem diversas faixas etárias. Os trabalhos individuais acontecem num aconchegante espaço na Vila Madalena; as oficinas em grupo podem ser realizadas nesse mesmo espaço ou em outros lugares.

Não é necessário ter habilidades especiais na escrita para participar.

CARGA HORÁRIA

Cada proposta do menu abaixo pode acontecer em quatro formatos:

Formato pocket: 1h a 2h. Um aperitivo consistente para matar aquela fome básica. Uma experiência breve de imersão no universo temático em jogo, seguida de um exercício de escrita.

Formato curto: 3h. Carga horária suficiente para desenvolver o tema e as experiências de escrita e expressividade de forma relativamente profunda. Uma boa refeição.

Formato intensivo: 6h em um só dia (dois módulos de 3h com intervalo) ou 9h (três módulos de 3h), ao longo de um dia e meio (por exemplo, num fim de semana). Carga horária suficiente para desenvolver o tema em alguns ciclos de experiência de expressividade e escrita. Refeição completa com entrada, prato principal e sobremesa.

Formato extensivo: vários encontros de 3h, uma vez por semana. Permite profundar os temas abordados e vivenciar diversas experiências de escrita e expressividade ao longo de algumas semanas. Banquete.

A partir de fotos, objetos e músicas, as vivências propõem um diálogo com imagens, temas e momentos de uma história de vida. Diálogo que se expressa em textos, escritos durante a oficina e compartilhados na medida do desejo e disponibilidade de cada um. Assim, ao longo de um dia você vai reunir material suficiente para compor um pequeno livro ou uma apresentação digital sobre sua própria história ou a de alguém que você queira homenagear.

Tato, visão, paladar, olfato e audição: que tal renovar seus sentidos? A gente pensa que sabe tudo sobre eles, mas sempre pode sair da caixinha. Nesta oficina você vai se dar conta de como percebe algumas situações e de como pode percebê-las de outras formas. A partir dessa experiência, abrem-se possibilidades vivenciais e narrativas, já que o ponto de vista a partir do qual uma história é vivida e contada faz toda a diferença.

Carga horária: 9h em dois dias consecutivos ou três módulos de 3h30.

As águas de um rio a fluir, a transpor obstáculos e seguir seu curso: essa imagem será o fio condutor da experiência. Nesta oficina vamos ao encontro daquilo que propicia o fluir de suas ideias, percepções, sentimentos, palavras. E vamos constituir um lugar pessoal e compartilhado de criar.

Para criar enredos, escritores e roteiristas de todos os tempos e cantos do mundo usam como referência elementos e acontecimentos presentes nas trajetórias de personagens de mitos e contos da tradição oral de diferentes povos, tal como explicitou Joseph Campbell. Foi ele quem cunhou o termo “jornada do herói”. Era amigo e mentor de George Lucas, criador da famosa série Star Wars. Mas não só Hollywood bebeu dessa fonte. Ainda que não conscientemente, todo criador coloca em suas histórias elementos da narrativa mítica, mesmo que às avessas. Pois a jornada do herói está presente na vida de cada um de nós. É o que vamos ver nesta oficina, tomando como referência algumas obras de ficção e narrativas da vida real. Vamos dialogar com as etapas da jornada do herói e usar essa referência não somente para criar histórias, mas também para dialogar com a nossa própria jornada.

A oficina propõe uma conversa com poemas, minicontos e trechos de textos de autores clássicos como Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Machado de Assis, Clarice Lispector, Guimarães Rosa, e de escritores contemporâneos como Marcelino Freire, Andréa del Fuego, Nélida Piñon, Alice Ruiz, Ricardo Chacal. Os participantes são convidados a se expressar a partir de textos que os impactam e a compartilhar suas criações, estabelecendo um diálogo também com os textos dos colegas de grupo, numa troca criativa que contribui para o desenvolvimento do estilo de escrever de cada um.

Segundo a tradição tupi, cada ser humano é um instrumento. Como uma flauta, que precisa estar limpa e afinada para produzir um som puro e harmonioso. Que tal afinar seu instrumento de escrita (você!) e escrever com a sua voz e o seu ritmo? Esses são desafios que vamos propor nesse breve mergulho no universo da poesia e da prosa poética. A partir de experiências sonoras no corpo e de um diálogo com textos de autores consagrados, produções suas e do grupo. Porque escrever não é somente juntar palavras corretamente. Texto tem voz, pulso, tom, ritmo. É preciso encontrar a música de cada texto.

De quem é a voz que conta a história? O foco narrativo é um dos mais importantes elementos da narrativa. Afinal, o ponto de vista influencia muito o modo como vemos, vivemos e narramos as situações. Nesta oficina vamos brincar com essa ideia e fazer alguns exercícios para desenvolvê-la. 

“Eu vi a mulher preparando outra pessoa…”, canta Caetano Veloso. Não é pouca coisa fabricar um ser humano. Transformações, maravilhas e desafios se apresentam. Um diálogo vivencial com esse momento dá ensejo à escrita, que pode ganhar diferentes formatos – carta, poema, reflexão ou até pequenas vinhetas a partir de fotografias ou desenhos.

Público-alvo: pessoas esperando bebês

Uma rede de apoio para compartilhar experiências, dúvidas, questões, histórias da vida de mãe. Um espaço para alimentar a alma com poemas, narrativas literárias e mitológicas, letras de música, filmes. E também momentos de escrita para quem quiser.

Público-alvo: mães de filhos de dois a dez anos.

Pré-adolescência e adolescência: fase de transição, cheia de transformações e erupções. Grandes desafios, tanto para os protagonistas do processo como para os coadjuvantes: todo mundo que está em volta. A oficina é um ambiente para compartilhar experiências e “equipar-se” para esse momento, compreendendo melhor o que está em jogo em cada família. Um espaço para refletir e dialogar com estudiosos do tema e alimentar a alma com poemas, narrativas, letras de música, trechos de filmes. E também para escrever, quando e se o grupo quiser.

Público-alvo: mães de filhos adolescentes

QUER SABER MAIS?

WhatsApp whatsapp
Viagem de Letras